segunda-feira, fevereiro 11, 2013

5 Edublogues que resistem a efemerização das conversas

Introdução


Arte do logo edublogosfera por Vanessa Nogueira, imagem xupinhada do Edublogosfera

Estou, aqui, usando o conceito mais amplo de edublogues: blogues de Professores que refletem sobre o mundo sob seus pontos de vistas ou blogues cuja temática principal é a educação. Estou também considerando (embora não seja um consenso) que as conversaçṍes que ocorrem nas redes sociais corporativas - twitter, google plus, Facebook, etc - contribuem para a efemerização das mesmas, na medida que se perdem no limbo da enxurrada de conversas, que não são indexáveis e ainda por cima são de difícil pesquisa com o passar do tempo:

"É realmente um desafio ocupar as várias interfaces onde, atualmente, a vida social, as conversas, as interações e, curiosamente, até mesmo os afetos ocorrem sem que haja desperdício de nossas vidas diante de nossos dedos, retinas e lombares... :-)

Mas num mundo em que tudo parece ser efêmero, ter um registro pesquisável, semântico e um pouco mais sob nosso controle pode (poderá?) ser a diferença entres sermos cidadãos históricos numa sociedade digital ou apenas uma quantidade de bytes no banco de dados das corporações!

Os 5 Edublogues

Os edublogues dessa lista estão numa ordem arbitrária...
  • Caldeirão de Ideias - É um blogue editado pelo Robson G. Freire que publica textos sobre educação selecionados por seu Editor. Só isso já seria motivo para que nós o acompanhássemos de perto. Recentemente, lançou um excelente projeto de textos de convidados, com uma série de textos que valem muito a pena você parar por lá por muitas horas.
  • Blogosfera Marli - A Professora, pescadora, formadora de Professores, palestrante e Edublogueira, Marli Fiorentim, que tive o prazer de desvirtualizar em 2012 na Campus Party, é uma edublogueira das antigas (seu blogue acaba de completar 7 anos). A Prof. Marli também tem refletido sobre a necessidade de investirmos mais tempo nos nossos blogues. A propósito, a ideia desse texto que você lê agora, eu tive quando comentava o excelente blogue da Marli.
  • Mulher é Desdobrával - A Tatiane Martins é Professora, Doutoranda e amiga (desvirtualizada) da edublogsfera. Reflete sobre educação e sobre a vida no seu blogue. Recentemente resolveu retomar o blogue, resgatando o mesmo como espaço de memória. É um blogue, sob vários sentidos, inspirador.
  • Blogue da Miriam Salles - A Professora Miriam Salles é edublogueira das antigas e também uma amiga que já tive o prazer de desvirtualizar. Sempre compartilhando descobertas, aprendências e estendendo as conversações. É com alegria que vi que ela retomou o controle do blogue voltando com as conversações.
  • Onde Anda Su - Eu sei, o blogue da Su - Suzana Gutierrez - está adormecido há um bom tempo. Colocá-lo aqui na lista é um provocação para Su voltar a blogar, mas sobretudo uma homenagem a uma das pioneiras e talvez a primeira edublogueira em pt-br no Brasil!

Fechando a conversa

Ao acabar de escrever essa lista reparei que todos os edublogueiros, dos blogues listados acima, acabaram se tornando amigos virtuais (alguns já desvirtualizados outros não). O que só reforça a minha percepção de que os blogues, também, são espaços onde hoje em dia os afetos se manifestam.

E sim, existem vários outros excelentes edublogues que poderiam entrar na lista. Mas a premissa era 5 edublogues. Que tal você criar a sua própria lista de 5 edublogues e, preferencialmemte, publicar no seu blogue! Fica a dica :-)

PS: E este texto é uma tentativa de retomar o Vamos Blogar!

Related Posts by Categories



Widget by Hoctro | Jack Book

13 comentários:

Marli Fiorentin disse...

Sérgio, quando criei o primeiro blog em 2005, a interação através dos comentários foi grande. Pouco tempo depois, quando aprofundei o estudo sobre a ferramenta,a Su foi a grande referência. No primeiro blog edublog, igualmente a interação foi maravilhosa. Com o tempo, fomos a deixando de blogar(visitar outros blogues e comentar) com regularidade.Realmente, o tempo ficou curto para tantas interfaces. E poucos são os que se dão ao trabalho de ler um texto mais elaborado, mais longo e menos ainda contribuir com algumas ideias. Quando a gente percebe, está subutilizando o tempo na rede. Quando escrevemos, queremos que alguém nos leia, porém para isso precisamos ler também o que os outros escrevem e colaborar nas reflexões e debates. Tenho saudade dos velhos tempos, juro! Abraço!

Sérgio F. Lima disse...

Opa Marli,

Sem dúvida que queremos ser lidos! Mas as vezes devemos, também, escrevermos para nosso próprio registro histórico.

Claro que as facilidades das redes sociais corporativas nos levam a gastar mais tempo por lá, mas talvez seja como comer melhor... "fast food" é mais fácil que preparar nosso próprio almoço mais saudável... mas temos que resistir ao fácil!

Eu tenho usado muito os "fast foods das conversações" - aka redes sociais - mas vou me esforçar para registrar tudo que não quero que se efemerize nos blogues.

Trabalhoso? Sim, mas ninguém disse que a vida deve ser fácil :-)

abraços

Marli Fiorentin disse...

Ninguém é de ferro. E também tem o outro lado da moeda. Temos que estar onde o povo está, para passar nossa mensagem, mas o que é pra ficar de mais importante tem que estar no blog. Abraço!

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Olá Sérgio. Cheguei aqui através do blog da Marli. Gostei imenso de sua escrita e das ideias que nos propõe. Gosto de conhecer espaços como o teu que geram conversas! Enquanto terminava a leitura fiquei aqui a pensar 5 blogues que indicaria... Uma tarefa bem interessante e reflexiva também!

Bom, ainda estou começando tenho 4 anos de blog, mas acho que preciso aprender mais um pouco. tenho gostado da experiência!



Obrigada pela reflexão!
Abraço!

Suely Aymone disse...

Muito bacana essa conversa aqui no Vamos blogar?

Maravilhosamente provocativa!

Como a Vanessa, meu tempo de blogueira é recente... mas não tenho dúvidas, mesmo quando me olham certo desdém... ah, blog? Como se dissessem, coitada, tão antiguinha... com tantas novidades na web, ela vem falar em blog...

Penso que a preferência (dos outros) pelas "conversas efêmeras" passa pela questão da autoria e da responsabilidade que isso implica... publicar o que pensamos, um projeto, um plano de aula... num espaço que pode acessado, pesquisado... é dar a cara à tapa!

Os professores (não tenho receio de estar generalizando)não têm o hábito de registrar as práticas, nem de refletir sobre.

Suely Aymone disse...


Sim, escrevemos para ser lidos... e, também, para fazer registros...

Sim, os blogues nos aproximam.

Eu me sinto pertencente a um grupo, me aflijo quando um adoece, me alegro com a conquista de outro... sinto saudades quando um "some"... são nossos afetos gerados a partir de nossos blogs...

Beijos

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Concordo contigo Suely. Pouquíssimos professores tem a "disposição" para assumir esta responsabilidade de falar suas ideias. Dar a cara a tapa! Penso que o compartilhar é algo essencial para um convívio na blogosfera e na rede como um todo. foi através desse compartilhar que aportei aqui. Mas para isso temos também que assumir um lugar de autores e produtores de nossa própria história. Defensores de ideias nossas!!

Ihh, desculpem-me acho que me empolguei e fui além!!

Mas é isso que ando pensando ultimamente.

Abraço a todos!

Sérgio F. de Lima disse...

Opa Suely e Vanessa,

Tempo não é preciso, blogar é que é preciso :-)

E é caminhando, compartilhando, conversando e blogando que fazemos juntos nossa edublogosfera.

Como se diz, vamos que vamos.

José Antonio Klaes Roig disse...

Caro Sérgio, ontem assisti o filme Além da Sala de Aula, inspirado na vida da professora Stacey Bess, que teve seu primeiro emprego dando aula para filhos de sem-teto em um abrigo (galpão) sem a mínima estrutura, e a partir da "pedagogia do afeto", vai desarmando os espíritos e conseguindo desenvolver um projeto enriquecedora para todos. Lendo teu post e comentários, mais tenho certeza que educar é colocar a afetividade junto da metodologia e da didática, não apenas com os alunos, mas também com os colegas educadores, dividindo as dúvidas e certezas que não são poucas. Dessas trocas todos aprendemos muito e ensinamos também. Maravilha de postagem. Parabéns pela iniciativa e trabalho. Abrs, Zé Roig.

Sérgio F. de Lima disse...

Opa José Roig,

Vou tentar assistir o filme. É sempre bom ouvir histórias inspiradoras.

E concordo contigo, educar passa também pela dimensão humana do afeto e da partilha (de duvidas e aprendencias), muito mais que hardware, software ou mesmo metodologias.

Abs

Tati Martins disse...

Como lhe disse outro dia no Face, depois de umas férias propositalmente alienadas, estou tentando voltar aos poucos. Afinal tenho um doutorado inteiro ainda pela frente...
Conhecer você, seu trabalho e tê-lo como um amigo, foi um dos grandes presentes que tive ao conhecer esse mundo de edublogueiros.
Vamos blogar! Tempo a gente arranja, não é mesmo?
Beijinhos!

Tati Martins disse...

Ah! Nem comentei como fiquei feliz de ter sido citada...
Beijinhos novamente

Sérgio F. de Lima disse...

Opa Tatiane,

A recíproca é verdadeira. Bom, um Doutorado é um bom motivo para arrefecer o ritmo das blogagens... Deve sugar todos os seu milisegundos.

O importante é que as conversações e as amizades se realimentam, também, nos blogues.

Feliz 2013 Afinal :-)