segunda-feira, junho 13, 2005

MEC utiliza nova tecnologia de educação a distância

Nova tecnologia capaz de democratizar o acesso à internet, principalmente em municípios remotos não servidos pelas empresas provedoras desse serviço, chega ao mercado brasileiro em setembro

A solução é a WI-Max (Worldwide Interoperability for Microwave Access), tecnologia de acesso de banda larga sem fio que cobre área de até 50 quilômetros.

A Wi-Max permite a criação de rede metropolitana comunitária sem fio e pode levar acesso à internet a áreas de baixa renda e zonas rurais.

Em junho de 2004, o Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação a Distância (Seed), e a Intel firmaram acordo de apoio e desenvolvimento de projeto-piloto de conexão de escolas à Internet com tecnologia sem fio, para a capacitação de professores e o desenvolvimento de soluções pedagógicas baseadas nessa tecnologia.

O local escolhido para implementação do projeto-piloto foi a cidade histórica de Ouro Preto que, por ser tombada pelo patrimônio histórico, tem restrições a obras civis, necessárias para os procedimentos de cabeamento de redes, além de possuir topografia acidentada que dificulta soluções de comunicação.

Ouro Preto não tem conexão em banda larga em grande escala e sua comunidade é similar, do ponto de vista socioeconômico, à maioria das comunidades brasileiras.

A Universidade Federal de Ouro Preto foi escolhida para capitanear o projeto que será implementado em 2005 no município e atuará como agente de coordenação, desenvolvimento de pesquisa e avaliação do projeto-piloto.

As escolas serão equipadas ou terão equipamentos atualizados.

Haverá a criação do Núcleo de Tecnologia Educacional Municipal, responsável pela condução dos programas de capacitação de professores e dirigentes, com o projeto Intel Educação para o Futuro.

Serão desenvolvidas estratégias de utilização de ambientes colaborativos, acesso a conteúdos e projetos de educação a distância, destacando o desenvolvimento de projetos para construção de conhecimento, usando o Ambiente Colaborativo de Aprendizagem desenvolvido pela Seed (e-ProInfo).

O sinal será transmitido de uma antena base para outras antenas nas casas ou escritórios.

Segundo representantes da Intel, em dois anos o usuário não irá precisar de antena externa, pois a tecnologia estará no computador, com custo zero.
(Assessoria de Imprensa Seed)

Related Posts by Categories



Widget by Hoctro | Jack Book

3 comentários:

Tucumã com Tapioca disse...

Eis uma questão muito importante! para nós, aqui do Amazonas, onde a questão geográfica é um dos itens que dificulta o acesso às comunidades, e até mesmo em Manaus; capital do Estado, onde para chegar a escolas ruraisnecessitamos de 6 hs de barco, este projeto com certeza reduziria o tempo e facilitaria a interação entre alunos, professores e, no nosso caso, O NTE Municipal. Parabenizamos o MEC por mais essa feliz idéia e a Cidade e Universidade de Ouro Preto que irá sediar o projeto-piloto. Estamos na "torcida" para muito em breve também estejamos sendo beneficiados por esse programa. Helena Pontes(NTE Manaus Parque Dez)

Alexandre Bobeda disse...

É uma iniciativa interessante. Infelizmente, a realidade é que o e-learning ainda precisa muito se desenvolver aqui no Brasil e, mais ainda, ganhar a confiança e ser entendido, principalmente, pelas empresas que usam essa ferramenta.

Mary Martins disse...

Eu ando sonhando com esta tal de Wi-max desde que ouvi falar pela primeira vez...
Nem acredito que já está chegando a hora... mas esta historia de "custo zero" é ver p/ crer...
Tomara que ao menos não custe tão caro quanto o valor que temos pago por banda larga ou até mesmo conexão discada hoje em dia.
[]s
Mary Grace